MECA Inhotim amplia debate ecológico após rompimento da barragem em Brumadinho

A 5º edição do Festival levou música e arte para cidade, além de fomentar a economia da região.

O MECA é uma plataforma multicultural que tem como proposta um radar da cena nacional e internacional, presente em cinco estados brasileiros, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco. O argumento em evidência é conectar pessoas em festivais imersivos e multiculturais que ocorrem ao longo do ano, em pontos diferentes do país. 

Originário do litoral brasileiro, o MECA alçou a sua quinta edição neste no Instituto Inhotim, em Brumadinho, em Minas Gerais. O festival MECAInhotim, que acontece desde 2015, foi alinhado a campanha global #TogetherBand, da Organização das Nações Unidas (ONU), alinhado aos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável do planeta até 2030.  

(Foto: MECAInhotim/Divulgação)  

Gilberto Gil, Pitty, Tulipa Ruiz, Céu, Duda Beat, MC Tha, Castello, Lamparina e a Primavera e coletivos de festas da capital mineira se reuniram entre os dias 17 e 19 de maio no maior museu a céu aberto do mundo. O evento contou com a presença de mais de 9 mil pessoas, de acordo com os dados da curadoria do evento. 

O festival trouxe a ecologia e sustentabilidade como debate central. A meta era levar ao público uma experiência imersiva e multicultural alinhada com os desafios de Brumadinho após o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em 25 de janeiro de 2019. O rompimento, considerado um dos maiores, com rejeitos de mineração do país, resultou em um desastre industrial, humanitário e ambiental, com mais de 200 mortos e cerca de 90 desaparecidos.   

Sustentabilidade e economia foram os temas centrais do evento neste ano 

Segundo Mônica Rodrigues, guia de turismo em Inhotim, o movimento turístico caiu consideravelmente após o desastre da Vale. “Hoje, a cidade necessita de uma retomada no turismo para que a economia volte a girar”, afirma. Ela ressalta a importância do Instituto para a cidade e evidencia a geração de empregos ofertadas pelo festival.  

“O MECAInhotim gera cerca de 700 empregos, o que fomenta o desenvolvimento social e cultural dos jovens da cidade quando inseridos no circuito cultural do maior acervo de arte contemporânea do Brasil”, explica Rodrigues. Em 2019, o festival teve como meta movimentar o turismo local da cidade, além de abrigar debates sustentáveis que levem novas soluções para a defesa do meio ambiente. 

Para além da economia e da sustentabilidade, o MECA desenvolveu atividades voltadas para a comunidade local da cidade. O CEO e fundador do MECA, Rodrigo Santana, afirmou que, neste ano, o festival só foi confirmado após entender quais impactos o MECA poderia trazer para a comunidade da cidade.  

Foto: Meca Love - Divulgação

Pró-Brumadinho: uma proposta de recomeço para a cidade 

Para os moradores da cidade, o MECAInhotim foi um recomeço econômico e social da comunidade. Além de movimentar a economia local, a curadoria do evento lançou o fundo filantrópico Pró-Brumadinho em apoio à cidade e aos moradores. O fundo tem como objetivo arrecadar recursos para apoiar tanto a recuperação econômica e social da região quanto o desenvolvimento sustentável de Brumadinho.  

Em parceria com moradores e especialistas, o fundo atua em prol das necessidades locais desenvolvendo áreas sociais com foco econômico, ambiental, cultural e educacional, a médio e longo prazo.  

Em 2020 o evento acontece nos dias 05 e 06 de junho, mais informações: https://www.ingresse.com/mecainhotim2020

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui